Archive for Outubro, 2009

O Haiti é Logo Ali!

Outubro 28, 2009
haiti

Crianças haitianas em seus melhores trajes, nos recebendo em sua Igreja.

Foi andando pelos imensos corredores do Aeroporto Internacional de Guarulhos, levando meu namorado ao portão internacional que tinha como destino final o Haiti, que pensei neste Post.

Estava me lembrando da minha visita à esta ilha, que por uma ironia do destino se encontra no Caribe, em agosto de 2007. Vieram a minha mente alguns rostos muito nítidos, os rostinhos das crianças que conhecemos e do contato tão rico que pude ter com elas.

Lembro-me de estar andando por um das vielas de Port-Au-Prince, numa tarde mais do que ensolarada, nosso caminho passava por uma escola, uma casa vazia e toda quebrada, os destroços das mesas e cadeiras na entrada pareciam fazer parte da decorção de tão fixos que eram, pareciam estar ali há anos. Também não pude evitar o sentimento de ser o centro das atenções, os olhinhos das crianças pareciam não entender minha cor, a cor dos meus cabelos, minhas roupas e outras coisas… Mas não precisei de muito auxílio para atravessar esta barreira. Com apenas algumas palavras (e um tradutor!!) consegui juntar um grupo de aproximadamente 3o crianças que estava perambulando pelas ruas.

Fiquei sem entender a facilidade com a qual conseguimos reuni-las na ali. Eu não tinha nada nas mãos, não estava distribuindo folhetos, brindes ou nada do tipo. Não estava cantando, nem o meu violão eu tinha comigo, e com certeza naquele calor e nas condições em que estava hospedada, também não foi a minha beleza que os atraiu.

Mas mesmo assim elas se juntaram e ficaram esperando, querendo saber quem eu era, o que eu tinha pra dividir, qualquer coisa. Queriam qualquer coisa. Ao juntá-las, contei-lhes uma história da bíblia que minha mãe me contou quando eu era criança. No final da história, ninguém parecia cansado, e os olhos ainda eram fundos e agora cheios de expressão, pareciam querer me contar mais e mais.

Foi muito difícil para mim esta viagem. O tempo não parecia ser nem perto de suficiente! Mais tarde naquele dia, brincamos junto com as crianças e eles passaram a tarde brincando na nossa porta, tão próximos e tão distantes. A minha história com aquelas crianças acabou naquela mesma semana, mas fico pensando como aquilo pareceu acrescentar tanto à minha vida, e também à delas.

Não sei dizer ao certo se foi neste dia que nasceu a minha paixão pela educação, mas posso sim contar que aqueles olhos são a grande motivação do meu empenho em relação ao entendimento pleno de uma prática pedagógica que marca, e traz esperança.

O Haiti é um país que sofre com os diferentes problemas causados pela miséria e pobreza. A água limpa é um luxo, comida é banana, a rua e o lixo se confundem e a carência não é de dinheiro, é de tudo. É um lugar cheio de pessoas na busca de uma esperança que os salve daquele enorme vazio econônomico e social. Só quem já esteve lá, pode descrever o que há e te faz querer voltar.

Algumas notícias sobre o Haiti:

“Segundo o Ministério da Saúde e da População haitiano, a duração média de vida dos habitantes do país é agora bastante mais alargada do que há 50 anos. As autoridades sanitárias de Port-au-Prince dizem que em 1950 a média de idade dos homens no Haiti era de 36 anos, enquanto hoje se eleva aos 50. As mulheres também passaram dos então 39 anos de média de vida para os actuais 56. Os dados sobre a alfabetização no país também são positivos e registam um nítido crescimento. Basta pensar que, ainda em 1950, os analfabetos constituíam 90 por cento da população, percentagem que desceu para os actuais 50 por cento.”

http://www.audacia.org/cgi-bin/quickregister/scripts/redirect.cgi?redirect=EEuyVZpAkyEvjBEiAc

“As crianças nascidas no Haiti têm maiores probabilidades de morrer durante a primeira infância do que em qualquer outro país do hemisfério Ocidental, segundo “A infância em perigo: Haiti”, um relatório lançado hoje pela UNICEF.

‘Há poucos lugares no mundo onde é mais difícil ter uma infância saudável do que no Haiti,” declarou Adriano González-Regueral, Representante da UNICEF no Haiti. “A percentagem de crianças da América Latina e Caraíbas que nasce no Haiti é de apenas 2%, porém, neste país morrem 19% das crianças menores de cinco anos de toda a região. É de longe a maior taxa de mortalidade de menores de cinco anos da região, com 117mortes por cada 1.000 nascimentos’.”

http://www.unicef.pt/artigo.php?mid=18101112&m=3&sid=1810111216

Violência Infantil

Outubro 22, 2009

ViolênciaA violência é uma palavra que se expressa em diversas ações, sendo elas verbais ou físicas. Infelizmente a violência se expressa também dentro da Educação Infantil, partindo de professores, educadores e também das próprias crianças.

Quando a violência é expressa pelo professor, normalmente ela acontece de forma verbal, afinal de contas um professor que não sabe “encostar” de maneira apropriada nos alunos, sem machucá-los ou ofendê-los, não permanece por muito tempo nesta profissão. Essa violência verbal acontece contra a criança de maneira que por algum motivo de frustração: falta de atenção, comportamento aparentemente ou de fato inadequado, agressividade iniciada por parte do aluno e diversos outros motivos o professor assume uma atitude agressiva.

Professora Brava

Muitas vezes o professor se frustra com a não produção de um aluno, essa frustração vai gerando no professor uma atitude de pré estabelecimento em relação às expectativas que tem da produção do aluno. Quanto mais este processo se desenrola, mas raiva isto gera no educador. É aí que temos que tomar cuidado, pois todos nós professores temos que lidar com situações como estas em algum momento, é preciso entender a criança com um olhar mais alto do que o nível aonde ela está, e entender que nós podemos colaborar para que ela mude, instruindo-as por caminhos onde esta sempre sinta-se capaz de desenvolver o que colocamos em nossas propostas de aula.

Quando um aluno ouve do professor que não sabe fazer algo direito, quando leva uma bronca onde o professor expõe sua opinião de forma negativa na frente dos outros ou quando se sente deixado de lado pelo professor que está muito ocupado cuidando de outros alunos, este aluno passa a ter raiva e medo deste professor. Isto é violência contra a criança, e temos que ficar atentos, sabendo que isto não deve nem pode acontecer.

Outro tipo de violência que pode acontecer é chamada de BULLYING,”este termo compreende todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas, que ocorrem sem motivação evidente, adotadas por um ou mais estudantes contra outros, causando dor e angústia, e executadas dentro de uma relação desigual de poder. Portanto, os atos repetidos entre os alunos e o desequilíbrio de poder são as características essenciais, que tornam possível a intimidação da vítima.”

Dentro da educação infantil esta não é uma realidade gritante, mas o bullying pode entrar na educação infantil a partir do momento que ele anda em ciclos. Muitas vezes os pais destas crianças são violentos, porque sofreram de ou causaram o bullying, e provocam uma atitude violenta para com os colegas por parte da criança. Também temos que lembrar do contato que as crianças mais novas têm com as mais velhas (onde o bullying ocorre), e a vontade e admiração que as motivam a agir igual. Assim, temos que tratar com muito cuidado, e desenvolver com paciência casos de violência entre as crianças, deixando muito claro que esta atitude é errada. Podemos usar também de diferentes ferramentas para unir as crianças e fazê-las agir de maneira que sempre se entendam como iguais.

A violência contra a criança é crime, e nós educadores temos que lutar pela segurança de nossas crianças. A violência na rua, dentro de casa ou na escola pode mudar a vida de um ser humano, marcando-o negativamente de maneira que cause danos psíquicos e/ou físicos!

Ooops!

Outubro 14, 2009

Ooops!

StudyPor conta dos muitos estudos da faculdade, as provas, os seminários e também, acima de tudo e infelizmente, algumas complicações nas minhas condições de saúde os posts sofreram um grande atraso. Voltamos a nossa rotina normal de atualização à partir do dia 19 de Outubro, segunda-feira! Por favor acompanhe-nos e deixe também neste post a sua sugestão de assuntos interessantes ou dúvidas em relação à Educação Infantil.

Obrigada,

Aline Lucas Costa